Informações aos Pacientes

Bem Vindo!


Aqui você esclarece suas dúvidas em relação a sua arritmia e aos procedimentos que você ira realizar.


O que são arritmias


As arritmias são alterações na frequência e/ou ritmo do coração não ocasionadas por situações fisiológicas. Apresentam uma diversidade muito grande de etiologias, gravidade e mecanismo (maneira) de ocorrência. Isto significa que durante uma arritmia o coração pode bater muito rápido, muito devagar ou de forma irregular. Normalmente estas alterações se traduzem para o paciente como uma sensação de um batimento mais forte após falha, uma sensação de “batedeira” ou palpitação no peito ou irregularidade no batimento cardíaco. Além disso, de forma isolada ou associada as descritas podem haver tonturas, suor frio, sensação de dor no peito, falta de ar, desmaios ou mesmo morte súbita. As arritmias podem acontecer em pessoas com problemas cardíacos como doença valvular, doença no músculo do coração (miocardiopatia) ou doença nas artérias coronárias (vasos sanguíneos que levam sangue arterial com oxigênio e nutrientes ao coração), entretanto, muitas arritmias ocorrem em pessoas com corações absolutamente normais. Para o diagnóstico e tratamento das arritmias cardíacas podem ser necessários procedimentos chamados Estudo Eletrofisiológico, Ablação por Cateter ou mesmo um implante de dispositivo implantável como um marcapasso ou desfibrilador.


Procedimentos Realizados




A Ablação


A ablação por cateter é um método terapêutico das arritmias cardíacas onde o médico irá realizar uma aplicação de energia, geralmente radiofrequência, com aquecimento e destruição do circuito arritmogênico. É um método seguro e utilizado no mundo todo para as mais diversas arritmias. Todos os procedimentos são realizados com o pacientes internado em ambiente hospitalar. Pode ser:


Ablação por cateter de arritmias supraventriculares

As taquicardias supraventriculares são arritmias onde há uma aceleração súbita da frequência cardíaca relacionada a um circuito arritmogênico. As mais comuns são as taquicardias por reentrada nodal, com índices de sucesso que superam os 98%, e as taquicardias por vias anômalas (Wolf Parkinson White). Realizado através da aplicação de energia de radiofrequência no músculo cardíaco onde há o circuito anômalo e cauterização da área avaliada para correção definitiva da arritmia.


Ablação por cateter de arritmias ventriculares

Habitualmente realizada com tecnologia de ponta como o mapeamento eletroanatômico. Visa corrigir as áreas com ritmo ventriculares anormais. Quando as arritmias ventriculares são idiopáticas, de coração normal, e a ablação proporciona cura em um número elevado de pacientes.


*Mapeamento eletroanatômico



Ablação por cateter de Fibrilação atrial

A Fibrilação atrial (FA) é a arritmia sustentada mais comum na população e tem aumento da incidência com o avanço da idade e a associação com outras doenças. O Laboratório de Eletrofisiologia de Curitiba realiza a ablação por cateter com apoio de tecnologias de mapeamento tridimensional e possui taxas de sucesso no controle da arritmia compatíveis com os melhores serviços de ablação de FA ao redor do mundo.


*Mapeamento de Voltagem do átrio esquerdo


*Isolamento das veias pulmonares na FA



Pesquise informações sobre procedimentos



Informações



Como agendar um Procedimento

Marque uma consulta com um dos médicos do Laboratório de Eletrofisiologia de Curitiba para saber se o seu caso é passível de tratamento com cateter e não esqueça de levar todos os seus exames para uma melhor avaliação da indicação. Se o seu clínico já avaliou e observa a necessidade da indicação, ele pode nos encaminhar em um dos endereços ao qual ele está habituado. Após esta avaliação você será direcionado as nossas secretárias que irão lhe orientar dos procedimentos necessários para a liberação junto ao convênio.


Pós Procedimento

O pós procedimento em eletrofisiologia costuma ser facilmente tolerado. Como os exames são realizados por via endovenosa (por dentro das veias através de uma pequena incisão e punção por agulha) e não costumam trazer dor de forma significativa no pós operatório. Habitualmente o paciente se levanta em menos de 12 horas e recebe alta entre 24 e 48 horas após o procedimento. É possível que fique um pequeno hematoma na área de punção mas que deve desaparecer em poucas semanas. O repouso após a alta é apenas relativo, estimulando-se a deambulação precoce (caminhar), mas é claro, sem exageros. O retorno ao trabalho se dá em poucos dias. É importante que você retorne em seu médico clínico para o acompanhamento após a ablação. No caso da ablação da Fibrilação atrial todos os medicamentos que você tomava antes da ablação, inclusive o anticoagulante, devem ser mantidos pelo prazo que o seu clínico ou eletrofisiologista determinarem.


Nosso Blog


Espaço destinado a artigos, entrevistas e vídeos explicativos de como cuidar de seu melhor amigo, o CORAÇÃO.