Ablação por cateter de arritmias supraventriculares



Ablação por cateter de arritmias supraventriculares


Método de correção dos ritmos anormais do coração que normalmente provocam aceleração e sensação de palpitação. Realizado através da aplicação de energia de radiofrequência no músculo cardíaco com um circuito anômalo, cauterização da área avaliada e correção definitiva da arritmia. As arritmias supraventriculares mais comuns são curadas com taxas superiores a 90% e risco de complicações em torno de 1%.

Informações



Como agendar um Procedimento

Marque uma consulta com um dos médicos do Laboratório de Eletrofisiologia de Curitiba para saber se o seu caso é passível de tratamento com cateter e não esqueça de levar todos os seus exames para uma melhor avaliação da indicação. Se o seu clínico já avaliou e observa a necessidade da indicação, ele pode nos encaminhar em um dos endereços ao qual ele está habituado. Após esta avaliação você será direcionado as nossas secretárias que irão lhe orientar dos procedimentos necessários para a liberação junto ao convênio.


Pós Procedimento

O pós procedimento em eletrofisiologia costuma ser facilmente tolerado. Como os exames são realizados por via endovenosa (por dentro das veias através de uma pequena incisão e punção por agulha) e não costumam trazer dor de forma significativa no pós operatório. Habitualmente o paciente se levanta em menos de 12 horas e recebe alta entre 24 e 48 horas após o procedimento. É possível que fique um pequeno hematoma na área de punção mas que deve desaparecer em poucas semanas. O repouso após a alta é apenas relativo, estimulando-se a deambulação precoce (caminhar), mas é claro, sem exageros. O retorno ao trabalho se dá em poucos dias. É importante que você retorne em seu médico clínico para o acompanhamento após a ablação. No caso da ablação da Fibrilação atrial todos os medicamentos que você tomava antes da ablação, inclusive o anticoagulante, devem ser mantidos pelo prazo que o seu clínico ou eletrofisiologista determinarem.